header.deco01

Categorias

CD. Mafra 3 Rib. Santarém 1

Veteranos

 

Cá voltamos a receber, pela vigésima e mais umas tantas vezes, com muito agrado, o Ribeira de Santarém, equipa que nos merece tudo do melhor.

 

Aliás, vou fazer aqui uma inconfidência que provavelmente quem têm a paciência de ler estes meus apontamentos já deu conta.

 

Tomei o compromisso de escrever algumas linhas sobre os encontros que os veteranos vão realizando ao longo da época. Como sou de honrar os meus acordos, assim tenho vindo a fazer embora alguns os faça quase como um frete, outros nem tanto, outros por obrigação e outros com agrado, isto sem menos prezar ou que sinta qualquer antipatia com qualquer equipa que nos visita, mas às vezes a empatia não é tão grande, a convivência não é tão salutar, a criação de factos que dêem origem a este apontamento são escassos, enfim, devido a uma série de factores, inibem-me de escrever com a alegria de quem se dispõem a criar um apontamento que se quer leve, alegre e despretensioso.

 

O caso da Ribeira da Santarém é um caso aparte atendendo a que sempre fez parte do nosso calendário ao longo de mais de vinte épocas, sem qualquer interregno, havendo sempre um clima de “intimidade” que nos levaram a tratarmo-nos, já não como amigos nem companheiros de tardes desportivas e gastronómicas, mas como se de uma irmandade se tratasse.

 

É pois sempre com o maior, consideração, estima e com enorme satisfação e alegria que escrevo sobre os nossos irmãos mais velhos (Vão fazer 37 anos de existência no próximo mês de Maio!!! È obra!!! Nós que já nos consideramos velhotes nestas lides de veteranos, estamos a caminho dos 25 anos) da Ribeira de Santarém.

 

È dentro deste espírito que entendemos os pequenos arrufos, mal entendidos, desentendimentos ou desaguisados havidas ao longos destas dezenas de anos, como discussões iguais às existentes entre todos os que de facto são irmãos de sangue, sem que tais querelas impliquem na verdadeira união entre os mesmos. Assim o entendemos nós também em relação ao Ribeira.

 

Nossos irmãos da Ribeira de Santarém. È nossa vontade continuarmos a tê-los como “irmãos” por muitos mais anos e a contar convosco nos nosso calendário de jogos, como prova o já acertado entre as partes para a próximo época e assim acontecerá, como esperamos, nas temporadas seguintes.

 

O jogo

 

Mais uma vez, não me foi possível assistir ao jogo pelo que me recorro a informações que recolhi junto dos que lá estiveram, quer da nossa parte como da parte contrária para dar aqui alguns apontamentos do jogo.

 

Jogo bem disputado de parte a parte, havendo o fair-play que foi e será sempre indispensável para que se chegue ao fim do jogo sem ninguém lesionado.

 

Permitam-me que faça aqui um realce ao nosso DOMINGOS, que após um interregno mais ou menos longo afastado do terreno de jogo, voltou e mostrou os seus dotes de grande jogador, regressando cheio de garra e em muita boa forma física e moral, sendo, segundo a opinião generalizada de todos os que estiveram presentes a figura do jogo, pela forma como jogou e fez jogar a rapaziada do Mafra, empurrando, não só pelo seu exemplo em campo mas também como a forma empenhada com que se debateu no terreno de jogo, a equipa para o caminho da vitória.

 

Quanto aos golos registe-se que o nosso João dos “carcanhois”, mais uma vez fez o gosto ao pé marcando o nosso 1º golo pois quanto ao 2º para as nossas cores, foi-nos oferecido pelos nossos “irmãos” da Ribeira através de um auto-golo. Eu sempre disse que a malta da Ribeira de Santarém é malta porreira e não gosta que a gente perca em casa e assim lá veio a ajudinha que é sempre bem-vinda seja com quem for.

 

 

 

 

3ª Parte

 

Um encontro entre irmãos, é sempre motivo para festejos e alegrias, acompanhados de um bom petisco e uma boa pinga, seja ela branca, tinto ou mesmo cerveja, com muita conversa e troca de opiniões à mistura e assim veio a acontecer, acabando o repasto num alegre convívio, com votos de que nos voltemos a encontrar tão depressa quanto possível.

 

Notas finais

 

Ao aqui criar e denominar como a Irmandade, a ligação existente entre nós e o Ribeira de Santarém, define bem a alta consideração que temos para com a rapaziada daquele lugar ribeirinho, fruto dos muitos anos de camaradagem e convívio, em que as amizades se foram fortalecendo entre os membros de ambas as partes.

 

Tomáramos nós que muitas outras equipas seguissem as pesadas da malta da Ribeira, pois dessa forma, estamos certos ao afirmarmos, que o espírito e o desporto/convívio de veteranos, sairia muito mais fortalecido.

 

O nosso actual lema, como é do vosso conhecimento: SE A JUVENTUDE SOUBESSE E A VELHICE PUDESSE, muita coisa seguiria caminhos diferentes neste mundo de hipocrisias e falsidades. Enquanto isso nos ocupa a mente, FAÇAM O FAVOR DE SE DIVERTIREM, enquanto tal não for taxado com qualquer imposto ou oneração.

 

BEM HAJAM RAPAZIADA DA RIBEIRA DE SANTARÉM